O Bem Amado

O Bem Amado O Bem Amado

Vamos colocar de lado os entretantos e partir para os finalmentes:
É com a alma lavada e enxaguada que o Teatro Metaphora e a Casa do Povo de Câmara de Lobos apresentam o espetáculo teatral O BEM AMADO, de Dias Gomes. Trata-se de uma farsa sociopolítica patológica que não deixará ninguém indiferente, e que entrará para os anais e menstruais da história cultural. É uma alegria poder anunciar que prafentemente poderão morrer descansados, tranquilos e desconstrangidos, na certeza de que conheceram pessoalmente, não só a figura inflamante e dinamitosa de Odorico Paraguaçu, como talqualmente o nobre povo de Sucupira.
Tomem os providenciamentos necessários e adquiram os bilhetes com antecedência, assegurando, manifesta e impacientemente, o vosso lugar!


 

O “bem-amado” é Odorico Paraguaçu, homem de posses mas sem cultura, candidato à câmara de Sucupira. Apesar de ser corrupto e demagogo, Odorico é venerado pelos eleitores e exerce fascínio sobre as mulheres, especialmente as mal-amadas.
Sucupira não tem onde enterrar os seus mortos, e recorre às cidades vizinhas, a muitos quilómetros dali. Odorico promete realizar a obra que devolverá a dignidade ao povo, e é eleito. Acontece que, uma vez construído o opulento cemitério, ninguém morre naquela cidade.
Enfrentando a dura crítica dos ferrenhos opositores, entre os quais, a do dono do jornal local A Trombeta, Odorico conjura para que alguém morra e ele possa, finalmente, inaugurar o cemitério. As suas maiores aliadas são as irmãs Cajazeiras: três solteironas, untuosas e sexualmente reprimidas, que ajudam o presidente nas suas tramóias. Seduzidas por promessas de casamento, cada uma delas mantém relacionamentos com ele, sem desconfiarem umas das outras. Outro aliado é o seu secretário pessoal, aficionado colecionador de borboletas, ingénuo e tímido, que dedica fidelidade canina a Odorico, embora seja tratado como um tapete.
Desesperado, Odorico importa da capital um moribundo, primo das suas amigas, e que está às portas da morte, além de um temível bandido, cujo rol de assassinatos ultrapassam as três centenas. Até que, um dia…

Veja mais fotos no Facebook!

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: